Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘saúde’ Category

A TÂMARA

Benefícios nutricionais

A tâmara é muito nutritiva por conter proteínas, açúcar, sais minerais e vitaminas, sobretudo, a vitamina C, que neste fruto existe entre 50 a 100 vezes mais do que na banana, 8 a 17 vezes mais do que na laranja, 75 a 150 vezes mais que nas pêras, e 50 vezes mais do que na maçã.

 

Uma característica marcante na composição da tâmara é o facto de, para além de muito doce, ser extremamente rica em fibras e uma excelente fonte de potássio, ferro e cálcio.

 

Hidratos de carbono simples e complexos Podemos dizer que a tâmara é composta por 72% de hidratos de carbono simples e complexos. Isso faz dela um dos alimentos mais energéticos que se conhecem (274 Kcal por 100 gramas de tâmara seca). Deste modo, são ideais para aqueles que precisam de muita energia, como as crianças, os desportistas, os executivos, entre outros.

 

Minerais A tâmara ajuda a manter os níveis de minerais necessários. Os sais minerais desempenham funções vitais no nosso corpo, tais como manter o equilíbrio dos fluidos, controlar a contracção muscular, transportar oxigénio para os músculos e regular o metabolismo energético.

 

Açúcares Complexos É uma fruta muito doce. A tâmara fresca contém entre 20% e 36% de açúcar, enquanto as secas possuem entre 55% e 80%. Devido ao seu conteúdo de açúcares complexos, este fruto permite ao organismo um processo de metabolização demorado.

 

Esta é uma qualidade interessante quando temos que manter um ritmo intenso de esforço físico ou mental por um período longo de tempo (desportos de resistência, provas de longa duração, ou até mesmo um ritmo laboral intenso).

 

Vitaminas As tâmaras são também ricas em vitamina B5 (ácido pantoténico), conhecida pelos seus efeitos tranquilizantes. Por isso, há quem designe as tâmaras de “doses naturais anti- stress” pela capacidade que estas têm de proporcionar uma sensação de bem-estar e de relaxamento.

 

Devido a esta característica, também pode ser interessante comer algumas tâmaras antes de dormir, já que contêm triptófano que estimula a formação de melatonina, de modo a contribuir para um sono tranquilo e evitar a insónia.

 

Anúncios

Read Full Post »

tatuagem.jpgbarrigapiercing.jpg 

www.salteadoresdaarca.com

“Ou seja, piercings sim, mas só onde tradicionalmente são usados os brincos… “  diz Renato Sampaio  

Deputado socialista e autor do projecto, evoca razões de saúde para regulamentar estas práticas e proibi-las a menores de 18 anos, mas admite que se trata também “de uma questão de gosto”. “Um jovem pode gostar e decidir fazer uma tatuagem sem medir as consequências, mas terá de ficar com ela para sempre”, defende. 

No caso dos piercings, o argumento é o risco para a saúde, “que é sempre maior num jovem”, na opinião de Renato Sampaio.

De fora do âmbito deste projecto de lei ficam os brincos, desde que estejam nas orelhas.

O deputado socialista reconhece a dificuldade em distinguir piercings de brincos, mas desde que colocados nas orelhas, podem ser usados por qualquer pessoa, independentemente da idade ou do sexo. 

http://jn.sapo.pt/2008/03/15/sociedade_e_vida/ps_quer_proibir_tatuagens_e_piercing.html  

Pôr Piercings…será a única ameaça à saúde pública? 

Fundamentando  “SEXO SIM….mas só onde tradicionalmente…” Poderiam dizer os apreciadores de Tatuagens e Piercings que a saúde pública está gravemente em risco com outros modos de “SER” diferentes…

Estudo: bactéria mortal está a atingir gays nos EUA “Os especialistas advertem que a menos que laboratórios de microbiologia identifiquem o tratamento adequado para nova bactéria, “a infecção poderá se espalhar rapidamente e se tornar uma ameaça nacional”. 

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI2237387-EI298,00.html

Também se terá de legislar sobre esta matéria???

Tretas e tretas…chega de tretas de proibições, onde uma inspecção bem orientada previne as hepatites etc…porque é mais fácil de prevenir que essas bactérias letais…como podem ler no artigo.

O corpo é de quem o têm, sendo assim, haja Democracia em tudo o que o que diz respeito á Tal “INDIVIDUALIDADE” que tanto se pede para ser respeitada nalguns casos…e apesar de não estar dentro desta “moda”, não deixo de ficar surpresa ..com tudo o que parece ter, dois pesos e duas medidas…

www.salteadoresdaarca.com

 Tradição do Piercing e cuidados

Read Full Post »

Sendo um caso de saúde pública, como tantos outros que têem sido motivo de proibições, (tabaco, piercings, etc)por parte das autoridades dos governos, será que esta emergência vai culminar também, numa proibição nacional ou vamos ver dois pesos e duas medidas???

 

 

A variante de uma bactéria que pode levar à morte estará a espalhar-se rapidamente entre a comunidade gay das cidades de São Francisco e Boston, nos Estados Unidos.

De acordo com um estudo publicado na revista especializada Annals of Internal Medicine, a nova forma da bactéria MRSA, conhecida como MRSA USA300 é altamente resistente a medicamentos e é transmitida por meio de sexo anal, pelo contato da pele ou com superfícies contaminadas.

Os especialistas fizeram um levantamento da incidência da doença em diferentes áreas das cidades de São Francisco e Boston com base em registros hospitalares, mas não informaram o número exato de contaminados até agora.

A equipe de pesquisadores descobriu que no distrito de Castro, em São Francisco, – que teria uma das maiores concentrações de homossexuais dos Estados Unidos – um em cada 588 residentes estaria infectado com a bactéria. Em outras áreas da cidade, essa proporção seria de um para cada 3.800.

Uma outra parte do estudo ainda indicou que os homossexuais moradores de São Francisco teriam 13 vezes mais chances de contrair a doença do que outros residentes da cidade.

Necrose

A infecção pode causar úlceras na pele, necrose dos tecidos, atacar órgãos como pulmão e o coração e se espalhar facilmente pela corrente sangüínea.

Entre a comunidade gay, a doença teria se proliferado pelo contato da pele, causando abscessos e infecções nas nádegas e nos órgãos genitais. Os especialistas aconselham esfregar o corpo com água e sabão após as relações sexuais para evitar que a bactéria se espalhe.

De acordo com o jornal americano The New York Times, 19 mil pessoas morreram nos EUA em 2005 em decorrênica de doenças causadas pela MRSA (Estafilococos Aureus resistente à meticilina, MRSA, na sigla em inglês).

No passado, a bactéria era comum apenas em infecções hospitalares, mas recentemente também tem sido contraída por pessoas saudáveis fora dos hospitais.

Além de ser resistente à meticilina, a MRSA USA300 também não é facilmente combatida por outros antibióticos utilizados para tratar outras variantes da bactéria.

Os especialistas advertem que a menos que laboratórios de microbiologia identifiquem o tratamento adequado para nova bactéria, “a infecção poderá espalhar-se rapidamente e tornar-se uma ameaça nacional”.

BBC Brasil

www.salteadoresdaarca.com

 

 

Read Full Post »

www.salteadoresdaarca.com

ra1.jpg

As secreções de uma rã que vive nalgumas regiões da América do Sul, podem vir a ser úteis no tratamento da diabetes tipo 2, quando usadas na formulação de um medicamento.

Cientistas da Universidade do Ulster e da Universidade dos Emirados Árabes Unidos admitem que pode ser fabricada uma versão sintética das secreções da rã capazes de estimular a secreção de insulina pelas células pancreáticas.

ra_alerquim1.jpg

www.salteadoresdaarca.com

Read Full Post »

p1.jpg

Um gene que controla a proliferação celular nos primórdios do olho dos vertebrados poderá ter a mesma função nas células sanguíneas, o que sugere novas terapias para a leucemia humana, segundo um estudo de investigadores portugueses. O gene em causa, que utiliza como modelo o peixe-zebra, é o “meis1”, o mesmo que em humanos parece estar envolvido em tumores como as leucemias. “Muitas leucemias são causadas pela manutenção inadequada desse gene”, explica Fernando Casares, do Instituto de Biologia Molecular e Celular, da Universidade do Porto.

f-goldfische.jpg

www.salteadoresdaarca.com

 

Read Full Post »

www.salteadoresdaarca.com

 

Acidentes Domésticos com Idosos

Conviver com idosos em casa, em geral, é um momento delicado na trajetória familiar. Nesta fase, surge um problema prático: garantir a segurança do idoso no local de residência.
Pequenas mudanças podem diminuir o risco de acidentes, tão comuns na terceira idade.
Bastam pequenas mudanças para a casa se tornar mais segura. E o que é melhor: sem a necessidade de gastos exagerados.

Acidentes Domésticos com Idosos: como evitá-los...

Numa casa de dois andares, por exemplo, basta mudar o quarto do idoso para o andar de baixo, diminuindo as subidas e descidas de escadas, evitando, assim, quedas e fadiga.
 
Veja aqui as mudanças que devem ser feitas em cada um dos ambientes da casa.
 
Geral
  • Troque o piso da casa, caso este seja feito de material escorregadio.
  • Coloque corrimões nos corredores e outros locais da casa por onde o idoso costuma transitar. O idoso sentir-se-á mais independente, se perceber que, mesmo com dificuldade para se movimentar, não precisar chamar alguém para ajudá-lo.
  • Ilumine bem todos os ambientes da casa. Verifique também se os interruptores são fáceis de serem acionados, caso contrário, troque-os. Deve facilitar a entrada e saída de todas as divisões da casa.
  • Caso a casa tenha escada, pinte os beirais dos degraus com cores berrantes, como laranja ou amarelo. Isso facilita o idoso na identificação da distância dos degraus.
  • Adapte a banheira; este é o local que deve receber o maior cuidado, pois é onde se costumam concentrar o maior número de acidentes com idosos. Coloque um tapete antiderrapante. Coloque também alguns suportes, do tipo corrimão.
  • Adapte a cama, caso seja necessário. A altura ideal é verificada quando o idoso está sentado na beira da cama e consegue colocar facilmente os dois pés no chão. Os cobertores ou colchas não devem ser muito compridos, pois o idoso pode se enrolar e/ou tropeçar ao levantar.
  • Fixe à parede mesas ou outros móveis que sejam muito usados como apoio. Assim evita-se que, quando usados, estes se desloquem e provoquem uma queda.
  • Adapte as cadeiras. Todas devem ter braços laterais de apoio e encosto.
  • Troque ou adapte os tapetes da casa que escorreguem por tapetes anti-derrapantes. Caso não seja possível adaptar nem trocar, o melhor é retirá-los.
  • Adapte as maçanetas, se necessário. Todas devem ser de fácil manuseio, e as portas não devem ficar trancadas.
  • Adapte os armários da cozinha para que sejam fáceis de serem abertos. De preferência, deixe os produtos muito usados nas prateleiras mais baixas.
  • Conserte todos os locais onde o piso estiver irregular, tanto dentro da casa, quanto no quintal e jardim.
  • Proteja as extremidades pontudas das mesas ou outros móveis para que não causem nenhum ferimento mais grave.
  • Remova os objectos que estejam espalhados pelo chão da casa e que não tenham necessidade de estar lá, principalmente se estiverem interrompendo a passagem.
  • Recolha os fios que estejam pela casa, como os do telefone, televisão e outros eletrodomésticos.
  • Providencie sapatos e chinelos anti-derrapantes.
  • Deixe disponível no quarto-de-banho apenas sabonete líquido. Assim evita-se que o sabonete caia, e o idoso precise se abaixar para apanhar.
  • Deixe sempre uma luz – de preferência a do corredor ou da casa-de-banho – acesa durante a noite. Desta maneira, o idoso estará mais seguro, se precisar levantar-se durante a noite para…
  • Deixe à mão do idoso uma lista com os telefones úteis para casos de emergência. A lista deve estar próxima ao telefone e bem identificada, com letras grandes. No caso de não estar em casa, se houver um acidente, o próprio idoso (dependendo do caso ou até outra pessoa) poderá encontrar os números de telefone com facilidade.
  • Uma das principais causas de acidentes domésticos com idosos é a fraqueza muscular. Ao contrário do que se pode imaginar, os exercícios depois dos 60 anos são recomendáveis. Deve-se procurar um médico e um fisioterapeuta para que, juntos, possam indicar o exercício mais adequado para o caso. Os exercícios ajudam a fortalecer a musculatura e dão mais segurança ao idoso.
  • Caso o idoso sofra um acidente, levante-o com calma e faça-o sentar até se recuperar e sentir-se bem para ficar em pé.
  • Ao escolher o quarto que o idoso irá ocupar, prefira um que tenha janela, boa ventilação e quarto-de-banho dentro ou muito próximo deste.
  • O idoso precisa de confiança. Caso ele já tenha caído, não o deixe desistir de passear ou se movimentar dentro da casa por medo de cair novamente. Dê apoio, quando ele sentir vontade de sair e passear e tente dar-lhe o máximo de liberdade.
  • Faça as adaptações necessárias dentro da casa, lembrando-se, entretanto, que o idoso deve sentir-se o mais independente possível. Nunca se lhe deve tolher a mobilidade.
  • Não use produtos de limpeza que deixem o piso escorregadio, como a cera, por exemplo.
  • Não deixe objectos que o idoso possa precisar usar em local de difícil acesso . Boa parte dos acidentes acontecem quando o idoso sobe a uma cadeira ou banco para tentar chegar a objectos colocados fora do seu alcance.

TOPO

 
Quarto

Quarto

Cama
Larga, de preferência, com um só travesseiro; a altura deve ser igual a 0,45 m ou 0,50 m (incluindo o colchão) para que a pessoa possa apoiar os pés no chão quando sentada. Além disso, é importante que o móvel tenha cabeceira, para permitir que o usuário se recoste; que o colchão tenha densidade adequada ao peso do idoso e que o cobertor ou a colcha fique preso(a) ao pé da cama, para evitar a sensação de frio.

  • Mesa de cabeceira
    Fixada ao chão ou à parede para evitar que se desloque caso o idoso precise apoiar-se ao levantar. Um detalhe: suas bordas devem ser arredondadas e sua altura cerca de 0,10 m acima da cama.
  • Roupeiro
    Portas leves, cabideiro baixo, gavetas com travão de segurança nos deslizantes e prateleiras com alturas variáveis são fundamentais. Outros aspectos facilitadores são a instalação de luz interna – com acionamento ao abrir a porta -, e puxadores do tipo alça.
  • Cadeira ou poltrona
    São uma boa alternativa, já que podem ajudar na hora de calçar meias e sapatos.
  • Outras recomendações:

    O sistema de abertura das janelas deve ser sempre para dentro ou de correr. As persianas são a melhor alternativa para a vedação.

    Atenção: mantenha uma luz acesa, à noite; telefone e números de auxílio fáceis de acessar e uma lanterna na gaveta. Prefira interruptores próximos à cama, sistema de controle eletrônico, do tipo viva voz; sistema de ar condicionado ou de aquecimento elétrico. Quanto aos acessórios é preferível usar relógio digital com números grandes, suporte para copos de plástico ou metal, controle remoto para TV e abajur fixo na mesa de cabeceira ou na parede.

    TOPO

    Casa de Banho

    Casa de Banho

  • Banheira
    Só é recomendada se também houver espaço para um “poliban”. Neste caso, deverá ser provida de barras de segurança e ter os comandos para fora ou à distância.
  • Poliban
    Piso e proteção antiderrapante; fecho com material firme e difícil de quebrar; sistemas de porta de correr ou utilização de cortina plástica; largura mínima de 0,80 m; desnível máximo de 1,5 cm em relação ao piso do quarto-de-banho; e assento fixo para banho (0,45 m de largura e 0,46 m de altura). Além disso, é aconselhável que o poliban tenha corrimão lateral, barras de apoio com alturas variáveis, chuveiro portátil, tapete externo de borracha com ventosas, porta-toalha bem próximo ao poliban (com altura média de 1,30 m), porta-objetos fixo e saboneteira para sabão líquido instalada à 1,20 m de altura do piso.
  • Sanita
    Altura entre 0,48 m e 0,50 m; descarga simples (caixa acoplada ou acionada por botão); barras de apoio posicionadas a 0,30 m acima do tampo da sanita.
  • Bancada (Lavatório)
    Altura entre 0,80 m e 0,85 m; torneiras de fácil manuseio (meia volta, alavanca, monocomando ou com célula fotoelétrica); distância de 0,50 m, no máximo, das torneiras à face frontal da bancada; Lavatório com ralo protetor; barras de apoio junto ao lavatório; tomadas e interruptores posicionados em área seca, entre 1,10m e 1,30m do piso; porta-toalhas próximo à bancada e com altura igual às tomadas; e sabonete líquido.
  • Armários
    Modelo com área livre para movimentação das pernas, no caso do uso de cadeira de rodas; um espelho frontal com iluminação e outro, de aumento; suporte de escovas, lâminas, tubos e remédios em material resistente; lanterna, caneta e lente de aumento para ler e marcar os remédios na gaveta ou porta-medicamentos; prateleiras internas em material com resistência adequada; e gavetas com travão de segurança.
  • Outras recomendações:

    Paredes em alvenaria com resistência suficiente para a instalação de barras de segurança fixadas por buchas. Portas de acesso com 0,80 m e abertura para o lado de fora do ambiente. Espaço interno suficiente para duas pessoas circularem: isso facilita a ajuda, caso haja necessidade.

    Atenção: evite prateleiras de vidro, superfícies cortantes, quinas vivas e aquecedores a gás dentro do quarto-de-banho. Mantenha sempre luz de emergência, luz noturna e intercomunicador.

    TOPO

    Cozinha e Área de Serviço

    Cozinha e área de serviço

  • Lava-loiça e bancada
    Altura média de 0,85 m a 0,90 m; torneiras de fácil manuseio (meia volta, alavanca ou monocomando); filtro protector para evitar entupimentos; gavetas de fácil abertura, com trava de segurança e divisões para talheres e porta-facas; apoio para alimentos (largura mínima de 0,45 m) próximo aos equipamentos; e barras de apoio instaladas em locais firmes. Além disso, é importante que os armários inferiores tenham portas e área livre para movimentação das pernas (no caso do uso de cadeira de rodas); e que os objectos de uso frequente fiquem em locais de fácil acesso. Já os utensílios mais leves e pouco utilizados devem ser guardados nos armários superiores (instalados em altura adequada).
  • Fogão
    Botões na parte da frente; controles que fecham automaticamente o gás quando a chama se apaga (tanto nas bocas, como no forno); botões e controles em cor contrastante, para facilitar a visualização de temperaturas e ajustes; acionamentos digitais com números grandes e, também, sinais auditivos. Fora estas recomendações, é fundamental que os equipamentos embutidos tenham os botões de control posicionados em local de fácil acesso e que sejam usadas luvas térmicas e suportes para pegar utensílios quentes. Atenção: o aquecedor deve ficar fora da cozinha e a botija de gás do lado externo da casa.
  • Frigorífico e Arca Congeladora
    Evitar colocar peso nas portas; opte por uma solução que possua prateleiras que permitam o acesso sem que seja necessário baixar ou levantar muito os braços.
  • Tanque e tábua de passar
    Para serem utilizados com a pessoa na posição sentada, a altura adequada é de 0,75m. Já o ferro deve ter fio espiralado, com suporte fixo e controle automático de temperatura; as tomadas devem ser instaladas entre 1,00 m e 1,20 m; e o aquecedor a gás precisa, necessariamente, ficar em local próximo às aberturas para o exterior.
    Um detalhe: este último deve ter controle de temperatura e acionamento de chama somente quando for acionada alguma torneira.
  • Outras recomendações:

    É importante ter um carrinho móvel para levar utensílios da cozinha ou da área de serviço para outros ambientes. Prefira pratos e copos de plástico ou metal. Use cafeteira elétrica (ou bule de plástico) e garrafa térmica de metal.

    Atenção: na cozinha, forno elétrico ou microondas devem ser instalados em local de fácil acesso e permanecer desligados após o uso.
    Mais um cuidado: evite escadas dobráveis tanto na cozinha, como na lavanderia.

    TOPO

    Sala de Estar e jantar

    Sala de estar e de jantar

  • Poltronas e sofás
    Confortáveis, de preferência com braços, altura de assento em torno de 0,50 m e, principalmente, fáceis de sentar e levantar (profundidade adequada de 0,70 m a 0,80 m).
    Detalhe: os assentos não devem ser muito macios – a densidade moderada é a mais indicada.
  • Mesa de apoio
    Próxima ao sofá e com altura média de 0,60 m, apoia o telefone e o abajur.
    Importante: evite quinas vivas, vidros ou materiais cortantes.
  • Estante
    Com prateleiras e fixadas ao piso ou à parede. Evite objetos pesados e de vidro e prefira aparelhos de som ou TV com controle remoto.
  • Mesa de jantar e cadeiras
    Para a mesa são imprescindíveis bordas arredondadas e altura média de 0,75 m. Além disso, deve-se garantir um espaço livre ao seu redor para uma movimentação segura. Outros cuidados: prefira cadeiras sem braço e livre-se de tapetes sob a mesa.
  • Rampas e escadas
    Sempre que possível, construir rampas em vez de escadas, sem esquecer, no entanto, de manter a declividade máxima de 10%. No caso da casa já ter escadas, não deixe de usar corrimãos ao longo dos degraus com altura média de 0,80 m. Importante: fazer demarcações no início e no final da escada.
  • Outras recomendações:

    Prefira cores contrastantes e diferentes texturas nas paredes e móveis.
    Opte por iluminação uniforme, de preferência contínua (vários pontos), antiofuscante (lâmpadas leitosas, iluminação indirecta) e três vezes mais forte que o normal.
    Mantenha interruptores de luz em altura confortável (1,10 m ) nas entradas e saídas. Detalhe: os específicos para abajur devem ficar junto aos de luz.
    Escolha luminárias que proporcionem fácil manutenção e substituição de lâmpadas.
    Mantenha luz noturna nas circulações, opte por lâmpada de emergência ou lanterna em local de fácil acesso.
    Deixe os ambientes livres de obstáculos, principalmente os objectos e móveis baixos.

    Atenção: evite tapetes soltos, cortinas pesadas e fios elétricos e de telefone sem fixação. E não se esqueça: a personalização do ambiente com objectos, fotografias de familiares, datas significativas, viagens e elementos que tragam boas recordações são fundamentais para uma casa saudável. Fonte:

    http://inseguranca.no.sapo.pt/

    www.salteadoresdaarca.com

     

    Read Full Post »

    h.jpg

    É uma gestão virada para os números e para a contenção das despesas. Em que os profissionais de saúde não estão motivados, não têm boas condições de trabalho, logo o doente não pode ser o centro das atenções.

    Aumenta-se o horário de trabalho de 35 para 40 horas, a celebração de contratos de trabalho a termo certo de um ano com enfermeiros que exercem funções há seis, sete ou mais anos, é uma vergonha e leva a “não valorização dos enfermeiros qualificados”.

    Além da insuficiência de enfermeiros, há falta de medicamentos, de leites e papas, de fraldas de diversos tamanhos, de material clínico de consumo corrente – como cateteres – e até de cadeirões para os familiares acompanharem os internados.

    Os Hospitais atravessam graves carências materiais e humanas.pe.jpg


    Read Full Post »

    Older Posts »